Tradição monarquica, um rastro do passado

   
      Olá pessoal 

      O casamento real trouxe a tona, toda a tradição e as contradições que representa a existências das poucas monarquias que ainda resistem ao tempo. Um pé no passado e outro na contemporâneo, reflete como cristalizou uma imagem que é baseada na tradição e que se avaliada de perto tem muitos problemas. 

      Existem 28 países que ainda mantém suas monarquias, maior parte como símbolo político do que um governador com poderes, a função é exercida mais no Oriente médio, a presença de Reis e Rainhas aparecem na Europa, Oriente Médio, África e Ásia. O único império que ainda vem de séculos passados é o Britânico, todos os outros são famílias que não tiveram necessidade de ser derrubados ou cederam para virar elemento diplomático e não político. 

      Uma problematização que foi ressaltada com o Casamento de Sábado foi a ligação com o passado escravocrata, a exploração do Império na África e a relação entre "Nobres" e plebeus. O príncipe decidiu se casar com uma plebeia, americana e não branca que é uma transgressão forte ao estilo de vida da Realeza, com as raízes negras da noiva e ser fora do circulo de nobreza se levantou toda a questão racial inglesa, gerou um comentário dispensável do herdeiro da extinta família real que existiu no Brasil. Mesmo com toda modernidade que envolveu a cerimônia, o cenário e implicações apenas remetem um passado que serve de enfeite para uma população que não quis abdicar da imagem de Reis, Rainhas e Nobres. 

     As pessoas gostam da ideia de Nobreza, o que sustenta as famílias reais é poder ou memória afetiva, ou seja ela nunca saiu do poder e talvez a ruptura seja brusca demais para o povo. Os Ingleses,Espanhóis, Dinamarqueses, Monegascos tem um rei, príncipe pela sua história e pela continuidade do que eles representam como um traço de glória, um lado conservador da Europa que é o velho continente.  

    Por outro lado no Oriente, a importância da realeza ainda é considerável no mundo árabe como figura de poder, como também em boa parte da Ásia na Indochina. Outras culturas tem pensamentos diferentes e refletem tanto em exceções como o Vaticano como autoridade máxima próximo a um rei, a repúblicas africanas comandadas por Reis como Suazilândia, Lesoto. O Japão é outro país que mantém sua família Real como atrativo das tradições tão fortes que nascem na terra do sol nascente. 

   É isso, pessoal 
   Até a próxima 

 **Link para consulta : https://exame.abril.com.br/mundo/conheca-as-28-monarquias-que-ainda-existem-no-mundo/

 
         

Comentários

confira :

Quinta do youtube #124: Algoritmos e a busca da bússola de ouro