segunda-feira, 28 de setembro de 2015

2° Encontro dos cursinhos comunitários e populares de SP - Analise


  Olá pessoal
   Estou aqui para um breve relato do que foi o 2 ° Encontro dos cursinhos populares de SP organizado pela frente de cursinhos populares SP no sindicatos dos metroviários na zona leste . Houve de manhã uma mesa de Debate sobre educação popular com a participação da luta popular , 2 professoras e a ausências do MPL e do ENFF ( Escola Nacional Florestan Fernandes ) referência em educação popular , criada pelo MST , que seus representantes não puderam comparecer . Na parte da tarde uma atividade da própria frente no aspecto de discussão e criação de propostas práticas para nortear ações internas e externas do grupo .
     Aqui alguns aspectos levantados sobre a dificuldade da construção da Educação popular :

   Dentro da escola 
  •    movimento de gestão profissional dentro de um espaço pedagógico como a escola tem atrapalhado a prática educacional libertadora .
  •    a colonização dos currículos escolares com a aprovação do plano municipal de educação(PME) que limita em muitos aspectos a diversidade e certos conteúdos dentro da escola . O plano estadual da educação em discussão ainda é outro lado desse processo que pode levar só não os currículos mas as práticas da escola a uma piora .
  •    outro ponto é o pensamento generalizado de pouca resistência da categoria , liderada pela sindicato (APEOESP ) que é pelego mesmo com a maior greve de todas que durou mais de 3 meses na rede estadual e municipal . A adesão baixa dentro de muitas escolas mostra a mentalidade de muitos professores é  fraca enquanto a luta por uma educação melhor 
  •    Escola integrais e os pais que é uma relação de melhora mas problemáticas na relação de criação e a educação na prática . Há quem deixe a formação de cidadão e acadêmica nas mão de professores e funcionários , isso tem na prática um reflexo da falta de tempo dos pais e na diferença dos currículos da escola em diferentes períodos .

   Em outros espaços :
  •       a dificuldade no espaço para iniciativas como os cursinhos comunitários e populares que ficam em áreas periféricas em sua maioria visando o aluno que não pode pagar pela educação privada e chega defasado ao vestibular .
  •     Outro aspecto é a questão cultural que traz as ideias de horizontalidade , lutas pelas minorias e causas fora da questão trabalho . O meio para isso são os saraus e outras atividades de inserir a comunidade a aquele lugares ou espaços de criação poder popular
  •    a transformação dentro dos espaços como suburbios vinda da ação de trazer conhecimento mas analise critica da sociedade é um ponto  crucial . 
  •     as lutas tem um aspectos agregador pois a questão lgbt ,indigenas , das periferias , dos negros perpassam pela quebra dos preconceitos / barreiras sociais que a partir de um novo modelo de educação podem ser vistas e ouvidas . 

Parte 2  

     Depois de um almoço , uma atividade da frente que visava uma conversa/debate sobre 3 assuntos : Educação e opressão , Educação e trabalho e Educação e território , visando criação de propostas para encarar tais questões . Logo após houve uma plenária para uma discussão da validade da mesmas e acertar pautas combativas e estruturais para ser postas em prática .
    
    Opinião geral :

    A Frente dos cursinhos populares de SP surgiu de uma contradição , que é o próprio cursinho existir, sendo que a escola pública devia preparar para o vestibular porém sucateada como esta não anda servindo para tal função .  Anos de lutas se passaram , com as cotas e programas inclusivos (SISU e PROUNI)  muitas coisas mudaram para melhor e chegamos a uma boa situação .
      No entanto , se fez necessário organizar essa luta para resistir pois esses projetos e iniciativas com pouco ou nenhum apoio caem na dificuldades financeiras e falta de espaço . A ideia desse movimento é recente , bem intencionada mas não chega ainda no ponto principal : ser popular e horizontal como vi nesse encontro , entendo os motivos de não ser como um projeto buscando chão e lidar com diferentes personalidades e gênios fazem difícil esse começo .
      Longa vida a esse grupo de 60 cursinhos (até agora em SP ) e os outros grupos do Brasil (Já houve um encontro nacional ) que fazem a luta de Florestan Fernandes ir a frente . Educação Popular que seja inclusiva e libertadora , enquanto movimento social juntemos a outras lutas pois a periferia precisa de tudo e não tem nada

Facebook :   https://www.facebook.com/frentedecursinhos?fref=ts
Mapa dos cursinhos comunitários e populares no google : Aqui

Reportagem e cobertura : Erick Miyoshi

Até mais

@Miyoshi_niceguy

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Construindo ideias #1- Meritocracia e a inclusão social

  
   Olá pessoas
    Estamos aqui começando mais uma edição do Construindo ideias . O tema de hoje é quanto meritocracia é ilusória e o caminho que devíamos seguir é a inclusão social como instrumento de transformação social .

meritocracia
substantivo feminino
  1. 1.
    predomínio numa sociedade, organização, grupo, ocupação etc. daqueles que têm mais méritos (os mais trabalhadores, mais dedicados, mais bem dotados intelectualmente etc.).
  2. 2.
    p.met. classe ou grupo de líderes num sistema desse tipo.
  3. 3.
    sistema de recompensa e/ou promoção (p.ex., num emprego) fundamentado no mérito pessoal.
Origem
  
   Essa tema é frequentemente citado em debates contra movimentos sociais ,fundamentando a argumentação dos liberais. A classe média  e de tendências positivistas que tem mentalidade mais próxima das elites da sociedade do que as classes baixas ,  as quais suas condições de vida são mais próximas que é um tanto contraditório para o atual momento que vivemos .  É como dizem , a grama do vizinho é mais verde , por isso eles querem ser elite sem perceber que ainda vivem no barro .
Rio de Janeiro - RJ

    Desconstruir a meritocracia é analisar o mundo a sua volta e não encontrar o "paraíso" imaginado por uma parte da sociedade . O ponto de partida disso é encarar a desigualdade social visível no choque das imagens do morros cariocas e sua orla,turística e higienizada , com Leblon ,Copacabana ; Situação que se repete por todo o país em maior ou menor grau como as favelas de todo os cantos e a padronização de vida numa metrópole que se diz terra de oportunidade mas não gera condições de vida aos que vem atrás dessas chances . O começo da analise do cenário são as diferenças sociais e para mais além .
     Outro fator é a questão de moradia /educação nas diferentes classes e quanto isso afeta a ambição de quem nasce em cada uma delas . Eis que de um lado , o berço de ouro , e do outro : a dificuldade das pessoas comuns ; é fácil ter desde o começo da vida uma alimentação digna ,viver confortavelmente num apartamento , escolas bilíngue e com direcionamento aos vestibulares e no contraste dos mais simples que passam dificuldade no básico como comer todos os dias , pagar o aluguel que sobe cada vez mais e sobreviver no sucateado ensino público . Como esse dois quadros diferentes permitem a duas pessoas , uma vinda de cima e outra de baixo sonhar o mesmo enquanto um deles sempre quis ter o mínimo pra viver e outro teve de tudo ? 
        por isso a suposta "igualdade " sempre citada cai por terra . É possível questionar de como essas duas pessoas podem competir num pé de igualdade se desenvolvendo em condições materiais distante por um oceano de barreiras sociais . há inúmeros outros aspectos a se analisar porém isso rebate as principais argumentações meritocráticas .
        Temos que desconstruir a meritocracia e insistir nas Inclusão social . Os últimos anos demonstraram que o caminho das pedras é construir uma sociedade melhor a partir disto 
         os efeitos práticos da inclusão são a estrutura do Estado chegando , a possibilidade de uma ascensão a uma nova dimensão de vida . numa país que era estratificado por maioria em linha de pobreza extrema ,hoje se caracterizar por crescimento mesmo por vias assistencialistas , uma estrutura de vida com serviços básicos em dia e possibilitando chegar a uma faculdade ,sair do aluguel . Ser Includente é algo necessário a se fazer por um brasil melhor . 


    
No próximo capitulo , falaremos sobre a função e a luta do MST para além da mídia manipulada . O MST como grande movimento do campo brasileiro e a reforma agrária no combate aos latifundiários que possuem terras enormes improdutivas enquanto muitos sem comer no sertão e interiores do país .

até a próxima ,abraços
@miyoshi_niceguy

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Dois pesos , duas medidas : Corinthians e o apito amigo / Os Problemas do Futebol

      
      Olá , meu povo

       O assunto é futebol , o Corinthians e seu fardo : O apito amigo  . Por trás de toda a tiração , piadas e trollagens existe um preconceito muito grave e histórico da época da fundação do time , o ladrão , pobre e preto , fica claro algo a se estranhar dentro da mídia esportiva que reafirma esses símbolos ao contrário de tentar desconstruí-lo .
       Em certa medida , o que pode se considerar saudável em relação a questões de torcida de futebol e suas consequências sociais porém quando se trata de uma questão midiática é algo delicado quando a mesma pede paz entre torcidas incite uma guerra por diferentes estereótipos , classes sociais e rivalidades acirradas . É algo sutil que é feito mas quando se aponta fortemente erros da arbitragem contra Corinthians e Flamengo , se joga uma "Culpa " de tudo neles e ao mesmo justificando qualquer erro contra os outros como se houvesse uma compensação por tudo . Tratar tudo com 2 pesos e 2 medidas não é algo que vale apenas  dentro de uma conduta por uma melhora no futebol .
      
     

     Parte 2
    
    Nos enquanto espectadores  de futebol , nós acostumamos a viver esse tipo de coisa . Desde as velhas máximas do futebol a essa realidade extremamente comercial , passamos a aceitar que exista o desrespeito entre instituições e entidades (Federações x CBF/ Federações x Grandes clubes ( ( Fla , Flu , Cap , Par e etc ) )  como as atuais rixas que vemos por ai . Isso em certo grau permite ao Organizadas tenham permissão para se matar pois vivemos tempos de guerra dentro do cenário político . Enquanto temos parte da mídia se assustando com a violência dentro e fora de campo , os outros geram um clima para que tudo aconteça .

   Antes de pedir Paz , façamos ela em todo o futebol . Questões devem ser tratadas e conflitos ocorrem como toda área que é dinâmica porém é facil discursar sobre brutamontes organizados em torcidas para seguir algum time e guerrear por ele nos mais diferentes campos de batalhas (Metros , estadios , ruas )  .
      Outra coisa é não ir a raiz da questão que é violência causada por discurso de ódio , preconceitos e uma direção dada não somente pela mídia tradicional como a Esportiva que anda incentivando mais o racha entre torcidas e menos a união pelo futebol melhor .

sábado, 5 de setembro de 2015

Construindo ideias #0 - Construção e desconstrução

 
 
Olá Mundo

  Estou de volta para iniciar mais uma serie de textos , chamada : Construindo Ideias .  Usando de temas políticos e sociais para levantar um questionamento daquilo que você anda pensando sobre o mundo .

     Uma ideia , algo que parece simples porém na verdade é feita de uma longa e complexa construção para que se torne comum e aceita . É um processo orgânico e constante , até inconsciente que ocorre dentro da sociedade que vivemos e é a raiz dessa serie .
  Construir uma ideia na cabeça dos outros não é tarefa fácil porque envolve uma dispersão forte via algo que acesse todas as classes sociais . Uma maneira comum é a utilização de mídias de massa como jornais e livros no passado e TV e internet para difundir preconceitos , informações e desinformações ,isso que ocorre aos ataques ao PT e a esquerda nas manifestações de junho de 2013 .  
   Dentro de tudo isso , a desconstrução é parte essencial disso  pois uma ideologia supera a outra quando derruba sua antecessora.  E ao longo da história da humanidade é um ciclo constante de quedas e surgimentos de ideias e ideais que alteraram o mundo como um pensamento religioso extremo ( Idade média ) , Uma ascensão dos burgueses e seu estilo de vida ( idade moderna e contemporânea ), o poder de uma dominação sem imposição cultural ( Alexandre , o Grande ) , Grandes lideres e sua influência ( Chê guevara ,Bolivar , George washington , ghandi , Mandela, Vargas e etc ) e etc . A grande função pro trás desse processo é prepara uma mudança , uma nova época na história . 

   Nos tempo contemporâneos ,enfrentamos diversos tabus e paradigmas que merecem discussão debate mas refuta - se certos conceitos de gêneros ,sociais , políticos e sexuais onde não existe um espaço a desconstruir preconceitos e sexismos diante uma onda conservadora assustadora .  A função principal desses textos que virão  é apresentar e repensar seus próprios conceitos 

  Esse foi o capítulo 0 , o proximo irá falar de Meritocracia que é um conceito muito em voga atualmente . A discussão de muitos é a necessidade do assistencialismo tanto sobre o mérito individual sobre as conquistas , a mitificação sobre quem fez fortuna saindo do zero e enriquece cria a ilusão meritocrática de que TODOS podem chegar ao topo . 

Até a proxima , meus caros 

@miyoshi_niceguy