Crônica da semana : Copa do Mundo, encanto e desencanto

    


     Olá pessoal 

      Hoje vamos falar do assunto do momento, a Copa do Mundo começou e tem os dois lados da moeda, quem é contra ou a favor deste grande torneio. Seja o chato, o fanático ou o espectador, todos tem direito do entretenimento, de sonhar com os grandes jogos como uma pausa da vida real que fecha as cortinas e gera o espetáculo que fica um mês a cada quatro anos, depois o desencanto da vida cotidiana e a sensação de partida da alegria. 

      O hype do momento é o Anti-Copa, o mesmo discurso de alienação que se prega a qualquer diversão de massas, a jogada de criar uma imagem de culpa na festa do amigo enquanto "as coisas afundam" no país, o mesmo se afunda no sofá vendo Netflix numa maratona de 24H. A obrigação de se politizar é chata, bancar o vigilante ideológico da eterna crise moral e política do Brasil te faz um inconveniente e sem noção, as pessoas escolhem em algum momento da vida se politizar e escolher lados afinal, pessoas são complexas, dai tu escolhe ir para as séries ou ver todas as partidas da copa do mundo neste mês de festas. 

      Eu, conheci a Copa em 2002 com os meus ,gloriosos e confusos ,9 anos de Idade e entendo a magia de uma copa na Ásia e acordando muito cedo para ver aquele espetáculo, da TV e as poucas coisas que sempre uniu a gente na sala que foi o futebol da seleção Brasileira e até o Japão de vez em quando. O Brasileiro tá perdendo o superpoder de sonhar : Ver, estar, imaginar-se lá dentro daquele estádio que uma minoria sortuda tem a chance de estar ; a realidade é dura mas ter um alívio de alguns dias da dor cotidiana para ter uma experiência de ver seleções estranhas e jogos surpreendentes, assistir os gringos que agente ouve falar e se tornar especialistas das grandes seleções por um tempo, acertar o bolão ou se divertir com amigos vendo o seu time ganhar, perder ou empatar.  Não se torne o que você sempre odiou, o cara que estraga a diversão do outro e lembre que sem magia, a vida se torna um eterno dia de chuva que não tem o que fazer 

      Neste compasso de encanto e desencanto da vida cotidiana, dos pequenos prazeres que todo mundo tem mas esconde com a pessoa que odeia futebol mas é pirada em outro esporte, teria  o mesmo sabor e alegria se visse passar na TV : O jogo da NBA, O touchdown, A vitória do piloto favorito, A medalha de ouro na olimpíada, O final da maratona, talvez se conseguisse ver a si mesmo naquela tela sendo o jogador.  A chave só vira quando o olho permite entrar no cenário mágico dos grandes eventos, o lúdico de se ver como se fosse a primeira vez, tantas vezes e nunca perder o frescor que é a formula da rotatividade de todos os torneios mundiais como a copa, Olimpíadas e Campeonatos de corrida. 

     Seja quem for você, um iludido ou o realista, que a discussão sobre Copa do Mundo te abra a mente para que se permitir viver as coisas, além das premissas da realidade e que existe tempo para o lúdico, a vida divertida em meio a necessidade da vida adulta e os pesos que agente carrega todos os dias. O mundo é maior que apenas viver em linha reta, sem grandes emoções. 

     É isso, pessoal 
    Até a próxima 



     

Comentários

confira :

Quinta do youtube #124: Algoritmos e a busca da bússola de ouro