#CulturaPop n°26 : Os destaques do Oscar 2018

   

 
        Olá pessoal 

     Semanas atrás falamos dos indicados ao Oscar e neste domingo ocorreu a festa do Cinema mundial, a premiação não teve muitas surpresas porém alguns fatos merecem destaque. O maior ganhador foi "A forma da água" de Guillermo Del Toro e "Dunkirk" dominou a parte técnica,o primeiro filme de guerra de Christopher Nolan e o reconhecimento de Jordan Peele pelo seu trabalho no roteiro de "Corra".

     O clima geral dentro da premiação foi cauteloso após os movimentos de #OscarSoWhite e #Times'up, tentando fugir das polêmicas e erros. a Academia procurou mudar o jeito de indicar e reconhecer a diversidade. A mudança de perfil é um processo irreversível pois o mundo tá aberto e é necessário seguir o movimento de mais mulheres, latinos,negros e outros grupos que pedem espaço no mercado de cinema como um todo, todos estavam lá e nunca chegavam a uma indicação ou prêmio. 

     A forma da Água com muita justiça levou os melhores prêmios da noite, um filme feito para isso e que tem muita qualidade, reconhecer Del Toro que já é consagrado porém nunca tinha sido premiado no Oscar. Os concorrentes como Greta Gerwig, Jordan Peele eram surpresas e era importante só por estar na lista dos 5, os concorrentes diretos eram PTA e Nolan, foi uma boa escolha pois seguiu a tendência de outras premiações. 

    Nas categorias de Ator e Atriz foi a área de reconhecimento de grandes trabalhos com o vitória de Frances McDormand,Gary Oldman, Sam Rockwell e Allison Janney. No feminino, as mães fortes foram premiadas de "3 Anúncios para um crime" e "Eu,Tonya" e  no masculino, dois nomes conhecidos e que deixam poucas dúvidas sobre o merecimento. 

    Nos roteiros originais e adaptados veio enaltecer dois trabalhos sensacionais de Jordan Peele e James Avory, dois filmes de representatividade e diversidade que fazem bem a Academia que renovou bem a categoria com boas e novas indicações. Por premiar "Corra" já foi um avanço com o primeiro prêmio a um Afro-americano a ganhar o Oscar e "Me Chame pelo seu nome" é uma história delicada e sensível que premiou a pessoa mais velha a ganhar após 3 indicações. 

    Na animação, deu o óbvio com a vitória de "Viva" que também leva melhor trilha sonora original, o filme da Pixar reforça a tradição em vencer a categoria ano a ano. Categorias técnicas foram dominadas por "Dunkirk" além de Fotografia e Efeitos visuais para "Blade Runner 2049" , Figurino para "Trama Fantasma" e Maquiagem e cabelo para " Destino de uma nação

    Dos que não levaram nada pra casa mas merecem um breve comentário como Lady Bird que é um bom filme e de estreia da Greta Gerwig, "Baby Driver" poderia ter levado de Melhor Montagem. A premiação teve uma boa distribuição nas categorias, poucas injustiças e talvez um ano mais seguro de polêmicas. 

    O destaque fora de prêmio seja o discurso de Frances McDormand enaltecendo as mulheres presentes na noite do Oscar, a cena que teve mais impacto de toda as horas da transmissão. O cenário de tomada de espaços das mulheres em tempos de mudança para Hollywood. 


   É isso, pessoal 
   Até a próxima. 

 
       

Comentários

confira :

Tradição monarquica, um rastro do passado

os pontos positivos e negativos da Olimpiadas RIO 16